Você está em:

Vereadores debatem qualidade para o sistema de Saúde, preocupações com Carnaval e recebem comunidade durante Tribuna Livre

E-mail Imprimir

8ª Reunião Ordinária
29-01-2013

Durante a Reunião da Câmara de Ouro Preto realizada na última terça-feira, dia 29 de janeiro, os vereadores debateram sobre a gestão de serviços públicos de Saúde no município.

O debate foi iniciado por meio da Indicação nº 58/2013 de autoria do Presidente do Legislativo, vereador Léo Feijoada (PSDB), que solicita a implantação de um laboratório na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ouro Preto que funcione 24 horas para análise de exames emergenciais.

O Presidente Léo Feijoada afirma que os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) convivem com a grande demora na realização de exames muitas vezes urgentes. A proposição visa atender e diagnosticar com maior eficiência e agilidade as possíveis doenças dos pacientes atendidos na UPA que não têm condições financeiras de pagar por um exame com a devida urgência. A solicitação é de interesse da comunidade ouro-pretana, como também dos médicos que atendem na unidade.

“E ainda tem a questão que o Município precisa cumprir a burocracia do SUS Fácil. O povo de Ouro Preto que necessita transferência da UPA para a Santa Casa está encontrando dificuldade para achar vagas, está demorando demais”, afirma Léo Feijoada. O Presidente tornou público que esteve no hospital no último domingo (27) e apurou que havia 11 leitos masculinos vagos, enquanto um paciente aguardava há quatro dias a transferência. “Tá errado. É desumano”, pontua o Presidente.

O SUS Fácil é um software de Regulação Assistencial que apresenta entre seus módulos funcionais o Acesso ao Leito e Internações de Urgências. Para ser internado pelo SUS, é preciso, antes, enviar os dados do paciente para a Central de Regulação de Leitos e o sistema gerencia a troca de informações entre as unidades administrativas de saúde da região.

“Um senhor de Cachoeira do Campo ficou quatro dias na UPA enquanto havia vaga para ele na Santa Casa. E esse senhor acabou falecendo”, afirmou o vereador Maurício Moreira – Paquinha (PR).

Carnaval – Outro debate da Reunião dos Vereadores foi o Carnaval de Ouro Preto e as festas realizadas em casas estudantis nesta época. Frente à preocupação anunciada pelo vereador Dentinho da Rádio (PT) em alerta desencadeado pelo episódio da cidade de Santa Maria (RS), os edis acreditam que esse seja mais um momento para reflexão.

“Quando acontece uma tragédia dessa, a gente pensa nos filhos da nossa comunidade ouro-pretana”, pontua o vereador Roberto Leandro (PSDB). O parlamentar apontou a preocupação da Associação de Moradores do bairro Bauxita em relação às festividades dentro das casas estudantis no período do Carnaval. “Casas que comportam 30 pessoas, estão colocando 200”, ressaltou Roberto assinalando dados divulgados pelas repúblicas de estudantes de Ouro Preto.

“O Prefeito publicou um Decreto essa semana e está na responsabilidade do Setor Municipal de Fiscalização e do Corpo de Bombeiros regular isso para que nós não tenhamos que chorar de novo. Não podem fazer festas 24h nas repúblicas”, declarou o vereador Roberto Leandro a fim de sensibilizar os estudantes para que a cidade tenha um Carnaval “com alegria para todos”.

Tribuna Livre – Na mesma Reunião, o Presidente da Associação de Moradores do Morro Santana, Geraldo Calixto, utilizou a Tribuna Livre da Câmara para reivindicar melhorias para o bairro. “É necessário mais atenção ao crescimento do nosso bairro, porque lá tem várias ruas onde foi feito calçamento e não há rede pluvial nem rede de esgoto”, alerta Calixto. “Na época em que colocaram o asfalto deveria ter sido feita a reforma da rede pluvial primeiro. Hoje, quem mora na Rua XV de Agosto recebe todas as águas que vem da parte alta do Morro Santana”, afirma o Presidente da Associação de Moradores sobre o asfalto que liga o bairro ao Alto da Cruz. “O Taquaral também sofre com todas as águas que caem do Morro Santana lá do Córrego Seco”, conclui.

Também fez uso da Tribuna Livre o morador de Cachoeira do Campo, João Lúcio Assunção. “O objetivo da participação na Câmara de Ouro Preto foi pedir melhorias para a Rua Sagrada Família solicitadas há cerca de oito anos”, afirma o cachoeirense. Segundo Assunção, as necessidades emergenciais da rua são a construção de uma rede de esgoto e o calçamento.

“Atualmente, moram cerca de 15 famílias na rua. Na época da primeira solicitação, em 2005, eram oito”, afirma o morador que salientou também as necessidades dos bairros Dom Bosco, Pôr do Sol e Metalúrgico. O Presidente da Câmara, Léo Feijoada, solicitou que a Comissão Especial formada pelos vereadores Zé Maria Germano (PSD), Solange Pereira (PPS), Chiquinho de Assis (PV) e Wander Albuquerque (PDT) – nomeada durante a Reunião Ordinária do dia 22 de janeiro em apoio às reivindicações dos moradores do bairro Metalúrgico – acompanhe o caso.