Você está em:

Câmara debate sobre o Carnaval de Ouro Preto e enchentes em Amarantina e Cachoeira do Campo

 

  • Anterior
  • 1 of 2
  • Próximo
14-02-2013

Durante a Reunião da Câmara Municipal de Ouro Preto realizada no dia 14 de fevereiro, quinta-feira, os vereadores debateram sobre o Carnaval da cidade. Os parlamentares apontaram os desafios da execução do evento.

 

O Presidente da Câmara, vereador Léo Feijoada (PSDB), parabenizou o Serviço Municipal de Água e Esgoto (Semae) pela melhoria no abastecimento, em especial na região da Bauxita. “Todo ano era o mesmo problema e, segundo informação que os moradores levaram para a Câmara, dessa vez não faltou água no bairro”, destacou o Presidente do Legislativo.

Os vereadores apontaram também melhorias para o formato do evento nos próximos anos, com destaque à adequação dos espaços dos shows musicais. O Presidente Léo Feijoada reforçou o que foi fortemente debatido durante as últimas reuniões da Câmara antes do Carnaval sobre o local das apresentações dos grupos de Hip-Hop. “O espaço inadequado para o Hip-Hop já era previsto. Retirar o movimento do Largo da Escola Dom Pedro II e levá-lo para o estacionamento do Centro de Artes e Convenções da UFOP foi um ato de preconceito”, afirma Léo.

O vereador Roberto Leandro (PSDB), líder de governo no Legislativo Municipal, avaliou que “Ouro Preto teve um Carnaval possível, mas foi um bom Carnaval”. De acordo com o edil, a Prefeitura Municipal pôde fazer o evento mesmo com o orçamento de 2013 inacessível até o dia 23 de janeiro. O parlamentar lamentou o ocorrido com o movimento Hip-Hop e informou que o governo iniciará as discussões do Carnaval 2014 em abril deste ano.

Tribuna Livre – Durante a mesma Reunião, moradores dos distritos de Amarantina e Cachoeira do Campo utilizaram a Tribuna Livre da Câmara para expor a situação das enchentes que causam transtorno às duas comunidades.

Por meio de fotos, foram demonstrados grandes alagamentos que encobriram a Rua Olaria, em Amarantina, e a Rua João Bastos Filho e a Ponte do Palácio, em Cachoeira do Campo. “Todos, inclusive quem não mora na beira do rio, somos prejudicados”, afirma a moradora da Rua Olaria, Eliane Marçal.

A vereadora Solange Pereira (PPS) apresentou a Indicação n° 121/2013 solicitando à Prefeitura Municipal solução viável para as enchentes e alagamentos nos dois distritos. De acordo com a parlamentar, o rio Maracujá que corta as localidades está assoreado e requer intervenções públicas para que os alagamentos não tomem conta de Amarantina e Cachoeira do Campo.