Você está em:

Câmara aprova Projeto de Lei que visa instituir o Dia do Seresteiro em Ouro Preto

E-mail Imprimir

09.04.2013

Projeto prevê, ainda, que o mês de maio seja instituído como “Maio Seresteiro”. No mesmo dia, a Câmara recebeu aluna do CRAS Alto da Cruz, em Tribuna Livre.

Durante a Reunião de Vereadores realizada terça-feira (9), a Câmara Municipal de Ouro Preto aprovou o Projeto de Lei n° 16/2013, de autoria do parlamentar Chiquinho de Assis (PV). Sendo sancionada pelo Prefeito Municipal, a proposição cria o Dia do Seresteiro no calendário Oficial do Município e institui o mês de maio como “Maio Seresteiro”.

“Esse projeto estabelece o dia 2 de maio como Dia Municipal do Seresteiro e dedica todo o mês à seresta, como valorização desse gênero musical tão forte dentro de Minas Gerais e dentro do nosso Município”, afirma Chiquinho de Assis ao ressaltar que há em Ouro Preto dezenas de grupos que ainda executam a seresta. “Indicamos o dia dois do mês porque é a data de nascimento do mineiro Ataulfo Alves, um dos grandes seresteiros do Brasil, e que compôs a celebre música 'da Professorinha' [Meus Tempos de Criança]”, aponta o edil.

A Câmara de Ouro Preto aprovou, também, Moção de Repúdio à Câmara dos Deputados pela eleição do Deputado Federal Marco Feliciano na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).

Tribuna Livre – A Câmara recebeu, durante Tribuna Livre, a aluna do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS do Alto da Cruz, Carmem Gonçalves, que solicita a permanência do professor Toninho da Capoeira na unidade e nos demais centros onde ministra aula de expressão corporal. “O objetivo da minha participação foi pedir apoio para que ele continue com suas aulas para seus mais de 390 alunos”, afirma Carmem.

De acordo com a aluna, o contrato de Toninho está vencendo, o que poderá levar centenas de pessoas a deixarem de praticar a modalidade. O educador atua também no Grupo Assistencial Auta de Souza e no CRAS do São Cristovão e de Antônio Pereira. O professor já deixou de oferecer aula de capoeira por falta de apoio.

Em contato imediato com o Prefeito Municipal, o Presidente da Câmara, Léo Feijoada (PSDB), informou que o governo garantiu a continuidade do docente à frente do projeto.