Você está em:

Ministério da Saúde destinará verba de R$700 mil para a Saúde de Ouro Preto

E-mail Imprimir PDF

Secretário de Atenção à Saúde, Francisco de Assis Figueiredo; secretária municipal de Saúde, Flávia Perdigão; presidente da Câmara Municipal de Ouro Preto, vereador Wander Albuquerque; e deputado federal Toninho Pinheiro

 

Recurso foi conquistado após reunião do presidente da Câmara e da secretária municipal de Saúde em Brasília

 

O presidente da Câmara Municipal de Ouro Preto, vereador Wander Albuquerque (PDT), acompanhado da secretária municipal de Saúde, Flávia Perdigão, e do deputado federal Toninho Pinheiro (PP), esteve em Brasília, nessa terça-feira (16), para uma reunião no Ministério da Saúde com o secretário de Atenção à Saúde, Francisco de Assis Figueiredo. O objetivo foi buscar recursos junto ao ministério no tocante à saúde para o município de Ouro Preto.

Trata-se de uma emenda ao Orçamento Geral da União/2017 junto ao Ministério da Saúde, de autoria do deputado Toninho Pinheiro atendendo ao pedido do vereador Wander Albuquerque e da secretária Flávia Perdigão, destinando o valor de R$700 mil para ações de manutenção de unidades de saúde a fim de cobrir ações de custeio da pasta em Ouro Preto. Outro resultado alcançado no encontro foi a autorização do secretário de Atenção à Saúde para incremento do atendimento de média e alta complexidade no município e o credenciamento de laboratório de prótese, com o total de R$90 mil, diminuindo os custos para o Executivo Municipal.

Na oportunidade, o secretário Francisco de Assis Figueiredo também garantiu uma visita técnica de equipe do Ministério da Saúde a Ouro Preto para avaliação da possibilidade de novos credenciamentos de Unidades de Saúde no município e também na Santa Casa de Misericórdia de Ouro Preto. O vereador Wander Albuquerque explica que pode representar um grande avanço para o município. “Hoje, a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Ouro Preto, por exemplo, é mantida exclusivamente com recursos da Prefeitura, sem repasses diretos dos governos estadual e federal, porque ela não é credenciada ao Ministério da Saúde. Um credenciamento pode significar o recebimento de verbas diretamente do governo federal, com um incremento dos recursos, melhorando o atendimento ao cidadão”. A visita será agendada para o início de março.