Você está em:

Câmara de Ouro Preto busca soluções para projeto de proteção animal do município

E-mail Imprimir PDF

Os vereadores da Câmara Municipal de Ouro Preto aprovaram, no dia 21 de março, o requerimento nº113/2017, de autoria do vereador Marquinho do Esporte (Solidariedade). O documento solicita informações a respeito da suspensão das atividades da  Associação Ouro-pretana de Proteção Animal (AOPA).

A presidente da AOPA, Luana Clarissa das Neves, que assistiu a reunião ordinária, esclarece que as atividades foram suspensas temporariamente. “Como a ONG é formada por voluntariado, o apoio do Executivo é primordial. Realizamos uma reunião com o prefeito e sabemos que ele apoia a entidade, mas o problema é o trabalho primário com os animais, ou seja, a questão da saúde deles. Porque é muito fácil recolhê-los das ruas, ter um lugar para colocar, mas não cuidar. Precisamos do apoio completo, desde a questão do transporte até levar os voluntários a sede da associação. Precisamos disso para continuar trabalhando”, explica.

De acordo com vereador Marquinho do Esporte (Solidariedade), o requerimento foi originado após contato com a ONG, que expôs as dificuldades enfrentadas no momento. “Sabemos que é um trabalho fantástico, é inquestionável o que eles vêm desempenhando em Ouro Preto. Podemos também trabalhar e caminhar juntos para dar suporte à ONG, porque temos pessoas voluntárias que fazem um ótimo trabalho, mas que precisam ter, pelo menos, o básico do recurso, como o transporte, que hoje eles não têm. Não tenho dúvida que esta Casa vai se empenhar ao máximo para que possamos dar o mínimo de suporte para que eles possam continuar desempenhando esse belíssimo trabalho”, avalia.

Requerimento solicita informações sobre 21 de abril em Ouro Preto

Durante a reunião dessa terça-feira, os vereadores também aprovaram o requerimento do presidente Wander Albuquerque (PDT), que pede ao Governo do Estado de Minas Gerais informações acerca das comemorações do 21 de abril, normalmente realizado na praça Tiradentes de Ouro Preto.

Segundo Wander Albuquerque, o intuito é saber se a população ouro-pretana terá acesso à praça durante a solenidade. “O objetivo foi atender o pedido da população de Ouro Preto, uma vez que todo 21 de abril tem sido recorrente a não participação da comunidade ouro-pretana; ao contrário, muita das vezes, ela tem sido impedida até de ter acesso à sua casa. Então, fizemos o requerimento ao governador Fernando Pimentel para que nos informe como será o 21 de abril deste ano, ou seja, se a população vai poder participar ou não. O Legislativo de Ouro Preto, hoje, não aceita mais esse o modelo de 21 de abril na nossa cidade”, destaca.