Você está em:

Campanha da Fraternidade 2017 é tema de audiência pública

E-mail Imprimir PDF

A Câmara Municipal de Ouro Preto promoveu, nessa segunda-feira (10), uma audiência pública para tratar da Campanha da Fraternidade 2017. Os biomas brasileiros e a defesa da vida são temas da Campanha da Fraternidade deste ano. Visando à reflexão e à conscientização da população, a campanha, realizada pela Igreja Católica no Brasil, busca elucidar a situação atual do meio ambiente no país. A ação traz o lema “Cultivar e guardar a Criação”.

De acordo com o padre Rogério, “a igreja tem responsabilidade com essa missão. Além de defender e cuidar da vida como um todo”. Magda Godoy representou a comunidade católica e ressaltou: “Temos que ter a consciência da importância do zelo com a vida de cada bioma, principalmente o nosso, que é a Mata Atlântica”.

O vereador Chiquinho de Assis (PV) conduziu a audiência e destacou pontos importantes para o desenvolvimento sustentável de Ouro Preto. Além disso, realizou um debate em torno das melhorias que podem ser feitas por meio de uma parceria dos moradores com os políticos. “A igreja oportuniza essa discussão, mas, também, tem que passar por nós, que somos agentes políticos. Muitas das leis que vão, sobretudo, preservar e salvaguardar esse bem precioso do planeta passam pelas câmaras legislativas”.

Já o secretário de Meio Ambiente, Antenor Barbosa, evidenciou a importância da escolha do tema e disponibilizou a secretaria para contribuições. O padre Augusto completou: “É fundamental frisar o valor da mudança da mentalidade cultural no país para que possamos defender a vida, seja ela humana, vegetal, animal. É uma questão de sobrevivência”.

A reunião, organizada pela Comissão de Participação Popular, contou com a participação dos vereadores Chiquinho de Assis (PV) e Luiz Gonzaga (PR); do secretário municipal de Meio Ambiente, Antenor Barbosa; do vigário responsável pela Paróquia do Pilar, padre Rogério Augusto de Oliveira; da representante das Paróquias de Ouro Preto, Magda Godoy; do representante da Federação das Associações de Moradores de Ouro Preto, Luiz Carlos Teixeira; e do diretor de resíduos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Júlio César Pedrosa; entre outras autoridades e de representantes de diversos setores da sociedade.