Você está em:

Negociações da Data Base são temas de discussão na Câmara de Ouro Preto

E-mail Imprimir PDF

Durante a reunião ordinária, dessa terça-feira (20), a Tribuna Livre recebeu o presidente do Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos Municipais de Ouro Preto (Sindsfop), Mauro Luiz Fonseca, para falar sobre as negociações com o Executivo sobre a Data Base 2017, ou seja, o ajuste salarial e outras demandas dos servidores públicos municipais.

 

 

De acordo com Mauro, algumas cláusulas já tiveram evoluções, como a referente ao vale-alimentação, que atualmente é de R$465 e segue com o pedido de aumento para R$500. Porém, há outros pontos que ainda precisam ser acordados. “A Data Base tem várias propostas, inclusive, administrativas, mas sempre o carro-chefe é o aumento linear, que é a porcentagem sobre o salário-base de cada servidor. Desse modo, se não tem o aumento, o servidor fica frustrado, pois essa seria a correção da inflação. Isso significa que o seu salário está defasado e que não está tendo aumento, está tendo perda de salário”.

O vereador Vander Leitoa (PV) ressaltou que “é muito importante esse diálogo com o Executivo. É preciso averiguar a pauta da reivindicação para sabermos de fato o que está sendo solicitado e o que foi acordado. Vamos fazer parte dos próximos encontros, acompanhando de perto. Até mesmo, porque eu sou diretor do Sindicato Metabase Inconfidentes e quero acompanhar essa situação. Essa é a nossa luta, defender os trabalhadores”.

Mauro também falou sobre o piso salarial dos professores. “Hoje, o município não paga o piso, que é observado pelo salário-base, então, a remuneração do professor em Ouro Preto está abaixo do estipulado. Essa é a luta, transformar o salário-base do professor no piso nacional”.

O vereador Juliano Ferreira (PMDB) também defendeu a causa e falou sobre a situação dos professores. “Eu sempre fui defensor da classe docente, afinal, eu também sou professor. O piso nacional ainda está muito abaixo do que os educadores merecem. Vou defender o piso referente aos professores e defenderei, também, a classe trabalhadora. Mas entendo que é necessário o diálogo entre ambas as partes para chegar a um resultado satisfatório para todos”.

Para a vereadora Regina Braga (PSDB), “a Câmara tem que estar do lado do servidor, e é necessário que haja melhorias. Sabemos que falta muita coisa em termos de estrutura e o que eles reivindicam é direito deles. Servidor valorizado é servidor motivado. Vamos lutar juntos para que aconteça um consenso que seja bom para todos”.

Ao final da reunião, o presidente da Câmara de Ouro Preto, Wander Albuquerque (PDT), nomeou uma Comissão Especial composta pelos vereadores Geraldo Mendes (PCdoB), Juliano Ferreira (PMDB), Marquinho do Esporte (SD), Regina Braga (PSDB) e Vander Leitoa (PV) para acompanhar as negociações da Data Base entre Sindsfop e Prefeitura. Wander destacou que também pretende participar dos encontros.