Você está em:

Tribuna Livre da Câmara Municipal discute acessibilidade em Ouro Preto

E-mail Imprimir PDF

 

A Associação Comunitária dos Deficientes de Ouro Preto (Acodop) participou da Tribuna Livre da reunião ordinária da Câmara Municipal dessa quinta-feira (15) para tratar de questões de acessibilidade no município. Segundo o vice-presidente da instituição, Júlio César Gonçalves, a participação na reunião também visou pedir o apoio dos vereadores para as ações da entidade.

“Viemos aqui para que todos os vereadores possam abraçar nossa causa para que ela realmente se transforme em prática. Traremos muitos outros projetos que melhorem a acessibilidade e tragam qualidade de vida, para que o ‘ir e vir’ fique mais tranquilo para todos nós que somos deficientes”, explicou.

 

“Sabemos que Ouro Preto é complicado para as pessoas com deficiência, em seu dia a dia, principalmente pela topografia. O município precisa realmente se debruçar sobre essa política da pessoa com deficiência, e a gente tem que lutar por isso. Eu tenho certeza de que esta Casa está disposta e vamos aprovar os projetos de lei que chegarem nesse sentindo”, afirmou a vereadora Regina Braga (PSDB).


O presidente do Legislativo ouro-pretano, vereador Wander Albuquerque (PDT), reforçou que a Câmara, com todos os seus edis, está empenhada na busca de soluções para melhorar a acessibilidade no município e especialmente em sua sede. “Nesta gestão, a Câmara adquiriu o carro escalador de escadas, para permitir que cadeirantes possam ter acesso ao Plenário (que fica no segundo andar) e participar das nossas reuniões. Outra ação foi adaptar um banheiro para os deficientes. Estamos a cada dia procurando melhorar a acessibilidade das pessoas com deficiência aqui na Câmara Municipal de Ouro Preto”.

Júlio César também falou sobre a instalação de sinalização sonora para o deficiente visual, que ajudaria as pessoas com deficiência a atravessarem a rua com mais segurança. Outro ponto reivindicado na Tribuna Livre foi a adequação da Lei Parada Segura (Lei nº 1015/2016, de autoria do vereador Chiquinho de Assis), que estabelece que mulheres e idosos possam embarcar e desembarcar fora dos pontos regulamentados durante o horário noturno (21h às 6h) no itinerário de transporte coletivo urbano da sede e dos distritos. A solicitação é que sejam incluídos os deficientes. Atendendo a esse pedido, ainda durante a reunião dessa quinta, o vereador Chiquinho de Assis (PV) apresentou um projeto de lei ordinária modificando a legislação vigente para que os deficientes também sejam beneficiados com esse direito. O documento foi distribuído e segue para ser analisado pelos vereadores na próxima semana.