Você está em:

Câmara de Ouro Preto realiza visita na Apac de Conselheiro Lafaiete

E-mail Imprimir PDF

Prezando pela humanização na recuperação dos detentos, a Câmara Municipal de Ouro Preto, representada pelos membros da Comissão de Direitos Humanos da Casa, os vereadores Chiquinho de Assis (PV) e Luciano Barbosa (MDB), realizou visita às unidades masculinas e feminina da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) de Conselheiro Lafaiete. A visita, realizada nessa quarta-feira (9), foi motivada pelo requerimento nº82/18, de autoria de Chiquinho de Assis.

 

 

Diferente do sistema prisional, as Apac’s são ministradas pela Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (Fbac) e oferecem aos recuperandos um método baseado em 12 elementos, sendo eles: participação da comunidade; recuperando ajudando o recuperando; trabalho; assistência jurídica; espiritualidade; assistência à saúde; valorização humana; família; voluntário e curso para sua formação; centro de reintegração social (CRS); mérito e jornada de libertação com Cristo. A Apac de Conselheiro Lafaiete atende a 185 recuperandos e 25 recuperandas; além do município, várias cidades do Brasil e de outros países já adotaram o sistema.


“Apresentamos esse requerimento para conhecer esse modelo em Lafaiete e tentar levar algo mais dignificante para os nossos detentos de Ouro Preto. Essa visita foi idealizada após uma audiência pública, em que estavam presentes familiares e simpatizantes da causa. Buscamos a dignificação daqueles que erraram e necessitam recuperar. O que vimos na Apac foi um procedimento em regime fechado com as celas abertas; pessoas em regime semiaberto trabalhando; uma unidade prisional construída pelas mãos de homens e mulheres querendo se recuperar e serem reinseridos na nossa sociedade”, explicou Chiquinho de Assis.

De acordo com o presidente da Apac masculina de Conselheiro Lafaiete e secretário da Fbac, major Marco Antônio da Silva, caso Ouro Preto adote o sistema terá o total apoio da Fbac. “Nós temos a obrigação de apoiar essas comarcas, no sentindo de criar suas Apac’s; então, Ouro Preto pode contar conosco para fazermos parte desse trabalho. Juntos, vamos abraçar essa missão e vamos ter no decorrer do tempo uma diminuição da criminalidade”, ressaltou.

A visita à Apac foi guiada pelo encarregado administrativo, Ricardo Nonato. “Sabemos que um dos grandes motivos do crime dos ‘apaquianos’  é a dependência química, através da dependência vem o tráfico, o roubo, os crimes. Essa doença está provocando outras doenças sociais. O diferencial [das Apac’s do sistema prisional tradicional] é o acolhimento, é você nivelar-se com aquela pessoa que cometeu o crime e nivelar-se como um ser humano”, apontou.

Durante a visita, os vereadores puderam conhecer o ex-recuperando Daniel Silva, que passou pelo sistema prisional e pela Apac de São João del-Rei e, atualmente, integra a equipe da Fbac. “Na Apac, eu tive o meu primeiro salário, com 27 anos, tive minha carteira assinada. Na Apac, formei-me o ensino médio, fiz curso técnico de segurança de trabalho, computação e adquiri uma capacitação até chegar minha liberdade condicional. Na Apac, também me casei, constitui família”, relatou.

O vereador Luciano Brabosa (MDB) ficou satisfeito com a visita e destacou que “a grande diferença é que aqui os recuperandos cuidam dos recuperandos, lógico que com todos os acompanhamentos. Isso proporciona responsabilidade para eles. Assim, ao voltar à sociedade, eles estão muito mais preparados para continuar a caminhada livre”.

O Legislativo ouro-pretano realizará uma audiência pública para a ampla discussão da implantação da Apac em Ouro Preto. A data ainda será definida e será amplamente divulgada.