Você está em:

Presidente da Cooperativa de Serviços e Transportes do Brasil participa de reunião da Câmara de Ouro Preto

E-mail Imprimir PDF

Após a representação de nº52/18, de autoria da vereadora Regina Braga (PSDB), aprovada em reunião e encaminhada à Cooperativa de Serviços e Transportes do Brasil (CSTB), o presidente da entidade, Marcos Vinícius Barroso Gomes, participou da Tribuna Livre durante a reunião ordinária dessa quinta-feira (17). O objetivo foi esclarecer aos parlamentares e à população ouro-pretana sobre os atrasos nos pagamentos dos cooperados que prestam serviços para a Prefeitura de Ouro Preto.

 

Segundo Marcos Barroso, o débito do Executivo com a empresa, até a última terça-feira (15), totalizava R$1,8 milhão, entretanto, já foram efetuados novos pagamentos após a data. “Certamente, o valor devido já caiu e vem caindo ao longo do tempo. Acredito que até o final de maio, consigamos trabalhar com os caixas positivos em relação à Prefeitura, uma vez que estamos conversando com o prefeito e ele disse que quer regularizar esse pagamento dentro deste mês. Então, vamos conseguir equacionar essa conta”, pontuou.

A vereadora Regina Braga (PSDB) esclarece que fez “esse convite atendendo a um clamor dos cooperados, que estão há alguns meses sem receber pelos serviços prestados. Quando atrasa o pagamento, isso compromete a prestação dos serviços, como no transporte de serviços relacionados à saúde e à educação, além das dificuldades no orçamento das famílias desses trabalhadores. O presidente da cooperativa nos disse que estava com uma dívida em torno de R$4 milhões, sendo que foi quitado em torno de R$2,3 milhões e ainda falta R$1,8milhão que ficaram de ser pagos até o final deste mês. Torcemos para que isso aconteça e a situação se normalize”, explicou.

Para o vereador Luciano Barbosa (MDB), “esse assunto vem sendo muito debatido aqui na Câmara e, com a presença do presidente da cooperativa, tiramos muitas dúvidas. O atraso de pagamentos vem ocorrendo devido à crise no município. Ele também falou sobre os convênios que a cooperativa busca para os cooperados e sobre os impostos”.

O presidente do Legislativo, Wander Albuquerque (PDT), ressaltou que a questão de cooperativa em Ouro Preto já vem de anos. “Na legislatura passada, fui um crítico ferrenho ao modelo que tínhamos na cidade. Sempre defendi o modelo de cooperativa, porque o município, hoje, devido à legislação vigente, não pode fazer a contratação direta desse serviço, o que talvez seria a maneira mais econômica. Assim, a modalidade cooperativa é a melhor para o município por questões de isenção de impostos, uma vez que a cooperativa é isenta de vários impostos. Economicamente, é a modalidade mais interessante para a cidade, mas desde que funcione também como cooperativa, que não possui apenas um dono e sim os donos sejam os cooperados. Também foi feito o comparativo do valor da antiga cooperativa na distribuição de lucros, que era de 53% no passado, e com a Cooperativa de Serviços e Transportes do Brasil gira em torno de 23%, com todos os descontos”.

Os parlamentares destacaram que continuarão acompanhando a situação dos cooperados junto à cooperativa e ao Executivo.