Você está em:

Parlamento Jovem inicia as plenárias municipais

E-mail Imprimir PDF

Seguindo o cronograma definido pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a Câmara Municipal de Ouro Preto, em parceria com o Núcleo de Direitos Humanos da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop), realizou na última segunda-feira (25), a primeira Plenária Municipal do Parlamento Jovem - edição 2018.

 

O aluno Richard Brian Souza da Silva, membro do projeto e coordenador da Plenária Municipal, pontuou as questões que envolvem a sessão:  “nessa plenária municipal votamos os projetos de lei que criamos junto aos monitores da Ufop e lançaremos essas propostas para a próxima etapa [estadual] do Parlamento Jovem. Vamos tentar aprovar aquelas que forem melhores para nossa cidade e também para o nosso Estado”. Já parlamentar jovem Izaias Souza Araújo salientou que foram priorizadas as melhores propostas para virarem leis.

Nas plenárias municipais, os participantes do programa de formação cidadã discutem e votam as propostas correlatas ao tema central dessa edição: “Violência Contra a Mulher”. Os encaminhamentos podem originar projetos de lei por meio da ALMG. Dessa forma, a coordenadora discente, Monik Stefany Moura Lima, destacou que “o projeto tem dois objetivos: criar consciência crítica nos jovens e transformar os nossos projetos em projetos de lei estadual”.

O coordenador do Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC), Gabriel Neme, apontou qie “podemos perceber, de acordo com a temática trabalhada, a dinâmica e a preocupação dos estudantes e a relevância e importância desse tema no cenário social”.

Os documentos votados nessa etapa serão apresentados à comissão gestora do projeto, em uma plenária estadual, na Assembleia Legislativa, no dia 6 de julho, quando também serão definidas as datas dos próximos encontros nas esferas municipal, regional e estadual. O Parlamento Jovem de Minas é desenvolvido pela ALMG e pela PUC Minas, em parceria com as câmaras municipais; em Ouro Preto, também conta com a parceria da Ufop, por meio do Núcleo de Direitos Humanos. O projeto é destinado aos estudantes do ensino médio de municípios, e o mandato dos participantes tem duração de um ano.