Você está em:

Vereadores participam de reunião na unidade da Gerdau em Miguel Burnier

E-mail Imprimir PDF

O presidente da Câmara de Ouro Preto, vereador Juliano Ferreira (MDB), e os vereadores Regina Braga (PSDB), Vantuir (SD) e Wander Albuquerque (PDT) participaram de uma reunião, na última quarta-feira (20), na unidade da Gerdau em Miguel Burnier. O objetivo do encontro foi discutir sobre a possível criação de postos de emprego e a manutenção das estradas vicinais que cortam o distrito.


Juliano explicou que a reunião foi articulada pelo vereador Vantuir e que havia uma expectativa de geração de cerca de 200 vagas de emprego na unidade da empresa no distrito ouro-pretano, mas que devido ao rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho, essas contratações foram adiadas. “Nós esperávamos uma notícia mais feliz, mas com essa questão do rompimento da barragem da Vale fomos informados de que a empresa fará adequações nas instalações, nos métodos de produção e de armazenamento de rejeito na barragem e que é bem provável que só no final de 2020 retomem as contratações”. Juliano ainda destacou que o legislativo ouro-pretano continuará em diálogo com a Gerdau.

O vereador Vantuir também avaliou o encontro com representantes da empresa e destacou o impacto do adiamento das contratações. “O que ia melhorar nossa economia, gerando emprego para o nosso município, foi adiado só para o ano que vem. Nós vereadores estamos acompanhando e fiscalizando para ver se até o final de 2020 vai acontecer mesmo a geração de novos empregos”, disse.

Já a vereadora Regina Braga lembrou que os parlamentares estão em constantes visitas a essas empresas, sobretudo as grandes mineradoras. “Elas exploram o minério, ganham bilhões de reais com essa exploração e, no meu modo de pensar, elas deixam muito pouco para as comunidades, principalmente, para aquelas que são diretamente prejudicadas pela exploração mineral”. Ainda de acordo com a vereadora “estamos vendo anúncios dando preferência para o pessoal de Lafaiete, de Ouro Branco, de Congonhas e não Ouro Preto. Então nós fomos cobrar deles mais empregos para nosso município, sobretudo, nas regiões de Miguel Burnier, Mota, Engenheiro Correa, Santo Antônio do Leite. Também fomos saber sobre a segurança das barragens da Gerdau. Estamos preocupados com essa questão”, destacou.

Wander Albuquerque também defendeu a criação das vagas de emprego para Ouro Preto. “Nós acompanhamos em redes sociais a empresa Gerdau informando empregos, porém, para as cidades de Ouro Branco, Congonhas, Lafaiete, e excluindo a cidade de Ouro Preto. Isso foi a pauta principal dessa nossa reunião com a empresa e, também, a questão da estrada que liga Miguel Burnier a Itabirito, passando por Engenheiro Correa, que está em péssimas condições de manutenção, ao contrário da estrada de Ouro Branco a Gerdau, que é usada pelos caminhões da empresa”.
Por meio de nota, a Gerdau reafirmou que o seu relacionamento com as autoridades se pauta pelo diálogo aberto e transparente e que continuará buscando oportunidades de contribuição para o desenvolvimento local.

Agendamento de reunião com o DEER
Durante o encontro também ficou definido a articulação de uma reunião conjunta entre o poder Legislativo ouro-pretano, representantes da Prefeitura de Itabirito, da Gerdau e do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER) para discutir a manutenção e asfaltamento das estradas na região. “Essa força conjunta é para discutirmos a questão da manutenção das estradas que ligam Cachoeira do Campo e Santo Antônio do Leite a Miguel Burnier, que é uma estrada que está muito ruim - a MG-440 e a MG-030. Sempre cobramos muito a manutenção dessa via, que é uma demanda muito grande da população”, explicou o vereador Vantuir.

Sobre a segurança das barragens
Ainda durante o encontro, representantes da Gerdau falaram sobre a segurança e estabilidade das barragens da empresa. “A Gerdau possui duas barragens de rejeitos de minério de ferro, localizadas em Ouro Preto. Uma delas encontra-se desativada desde 2011 e está totalmente seca. Neste mês de fevereiro, recebeu laudo de descaracterização da Fundação Estadual do Meio Ambiente. A outra foi construída a montante e está operando. É monitorada, auditada e estável, sendo que estamos seguindo rigorosamente as determinações e os prazos das novas normas Estaduais e Federal”, destacou.

Em nota, a Gerdau ainda informou que investirá cerca de R$ 300 milhões até 2021 para a desativação da barragem e implantação de uma solução de empilhamento a seco. A mineradora ainda disse que está buscando as melhores tecnologias para aprimorar, cada vez mais, suas práticas nas atividades de mineração e que seu compromisso é ter o mais alto nível de segurança operacional.