Você está em:

Representante do MAB participa da Tribuna Livre na Câmara

E-mail Imprimir PDF

O legislativo ouro-pretano realizou a 46ª Reunião Ordinária da Casa nessa terça-feira (20). Na oportunidade, foram aprovadas cinco indicações, duas representações, oito requerimentos, um projeto de emenda a Lei Orgânica em primeira discussão e um projeto de Lei Ordinária em redação final.

Durante a reunião, Letícia Oliveira, membro da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), fez uso da Tribuna Livre para falar sobre as pautas do movimento e compreender como estão as informações sobre as barragens no município. “Em Ouro Preto são 33 barragens de mineração e cerca de oito de hidrelétricas. São muitas barragens, mais do que em outros municípios da região. São barragens em que um rompimento levaria problemas para outros municípios. Nesta semana, a Vale divulgou uma notícia de que está construindo um muro em São Gonçalo do Bação e que, talvez, impeça todo acesso às comunidades que foram retiradas. Então, como vai ser isso? Significa que as famílias não poderão voltar? Significa que é mais provável ou    não a barragem se romper. A Câmara fez hoje um requerimento cobrando mais informações sobre a construção do muro e também para saber como essas famílias estão”, disse.

Para o vereador Zé do Binga (PPS) deveria ser feito um estudo para saber como realmente está a segurança da barragem localizada no distrito de Santa Rita. “Sabemos que ela é segura, mas acho que dever ser realizado um trabalho para saber até onde vai essa segurança. Temos mais abaixo o distrito do Salto. Se acontecer um desastre naquela barragem, o primeiro prejudicado seria o Salto. Eu, como representante do povo, tenho obrigação de defender a minha população em geral. Inclusive, é um sonho da gente que essa barragem fosse usada como uma fonte de economia. Temos investidores na região da barragem que desejam usá-la para fomentar a economia, como por exemplo o turismo aquático”, ressaltou.

A Comissão dos 50 anos da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) também fez uso da Tribuna Livre para apresentar as atividades que estão sendo realizadas em comemoração ao aniversário da Instituição. “A Universidade tem muitas ações junto a comunidade, são cerca de 345 em 2019. São mais de 13 mil alunos nos três campi, cerca de 50 cursos de graduação e pós-graduação. Um impacto econômico muito grande na comunidade. A Universidade Federal de Ouro Preto completa esse ano 50 anos e muitas pessoas ligadas a Câmara participaram da construção da Instituição. Uma série de atividades vão celebrar o aniversário da Universidade, que comemora 50 anos nesta quarta-feira, dia 21 de agosto. Os vereadores de Ouro Preto vão participar das comemorações, escrevendo uma carta para que seja enterrada junto com uma urna que será aberta daqui a 25 anos. Todos os detalhes no site da Instituição www.ufop.br”, destacou Flávio Andrade, membro da Comissão.

Ainda durante a reunião, a vereadora Regina Braga (PSDB) solicitou informações do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER) sobre a manutenção das estradas de terra que cortam os distritos de Santo Antônio do Leite, Engenheiro Correa e Miguel Burnier. “No início desse ano fizemos uma reunião no DEER, em Belo Horizonte, junto com representantes da empresa Gerdau pedindo para que fosse feito o serviço de manutenção nessas estradas que são estaduais, ou seja, seria de responsabilidade do governo do estado fazer esse trabalho. Ficou acertado que a Gerdau entraria com o material e o governo do estado entraria com as máquinas. Mas já estamos chegando no período das chuvas e, até agora, nada. Nem uma satisfação, nem um retorno. Quem mora lá sofre, quem tem que usar a estrada todo dia sofre porque é muito buraco. A estrada está péssima”, disse.