Você está em:

Vereadores aprovam Projeto de Lei que institui o programa “Primeiro Emprego” em Ouro Preto

E-mail Imprimir PDF

Durante a 66ª Reunião Ordinária de 2019, realizada na Câmara de Ouro Preto nesta quinta-feira (31), foram aprovadas duas indicações, três representações, oito requerimentos. Além disso, foi aprovado, em redação final, o Projeto de Lei Ordinária 106/2018, de autoria da vereadora Regina Braga (PSDB), que institui, em Ouro Preto, o programa “Primeiro Emprego”.


O objetivo do projeto, que segue agora para sanção do Executivo, é inserir os jovens no mercado de trabalho.
De acordo com a vereadora, essa é uma ferramenta para que os jovens tenham a oportunidade do primeiro emprego. “Os jovens estão querendo trabalhar, estão querendo produzir. Até para comprar suas coisas, ajudar em casa. Além de ocupar a cabeça no dia a dia, produzindo e aprendendo a trabalhar. Esse projeto tem toda uma política de preparar o jovem para o mercado de trabalho e para vida. Trabalhar o jovem como cidadão, assim como a parte educacional. Me espelhei em uma experiência da cidade de Mariana, que está dando certo, então trouxe para Ouro Preto”, explicou.
Regina ressaltou, ainda, a aprovação unânime do projeto entre os vereadores. “Esse projeto é de suma importância, queria agradecer a todos os colegas vereadores porque foi aprovado por unanimidade. Acredito que não será vetado pelo poder Executivo porque todo mundo entende a importância desse projeto. Sei que existe a Rede Cidadã que cuida dessa questão do primeiro emprego, mas são muitos jovens querendo trabalhar, então esse projeto vem para somar, para complementar. As empresas pedem experiência, por isso é importante essa oportunidade, para ele seja preparado para o mercado de trabalho”.
Ainda durante a reunião, o vereador Geraldo Mendes (PCdoB) solicitou, por meio de um requerimento a ser enviado para a Prefeitura Municipal, a reforma da Biblioteca Comunitária de Saramenha. “A Biblioteca fica no prédio da Associação de Moradores, onde também funciona o Posto de Saúde e a Unidade III do Projeto Sorria. Ela fica na parte de baixo e está abaixo do banheiro do salão. Tem uma infiltração gigantesca na Biblioteca que interditou a utilização do espaço, que era utilizado pelos alunos da Escola Municipal Américo Renê Giannetti, para fazer o dever de casa. Os livros novos estão parados e estamos com temor de serem perdidos com a umidade e o mofo. Além das prateleiras também”, destacou.
Ainda de acordo com o vereador, a Associação não tem recurso para reformar o local. “Existe um contrato de comodato com a Prefeitura, em que a iluminação e a manutenção do prédio é de responsabilidade dela. É uma infiltração muito grande. A atual diretoria da associação de bairros me procurou, então fiz esse requerimento para que a Prefeitura possa resolver esse problema. Uma biblioteca fechada é ruim. Pouquíssimos bairros na cidade tem uma Biblioteca e ela tem que servir a comunidade”, finalizou.