Você está em:

Durante Reunião Ordinária, vereadores pedem informações sobre situação dos postos de saúde

E-mail Imprimir PDF

Na última terça-feira (12), a Câmara de Vereadores de Ouro Preto realizou a 13ª Reunião Ordinária de 2020. Na oportunidade, foram aprovados 11 requerimentos. Entre eles, o número 88/2020, de autoria do vereador Zé do Binga (PV). O documento será encaminhado à Prefeitura para que ela informe o motivo da interrupção do atendimento dos postos de saúde dos bairros Vila Aparecida, Nossa Senhora do Carmo e Morro São Sebastião.
O vereador destaca que os moradores desses bairros precisam do serviço, principalmente em meio a pandemia do novo coronavirus. “A organização Mundial da Saúde está pedindo para que não haja aglomeração e, com essas unidades fechadas, estamos provocando aglomeração porque as pessoas estão indo para os postos da Bauxita, do Veloso, de Saramenha. A população não pode ficar à mercê dessas necessidades. Lembrando que é o Programa de Saúde da Família, saúde em casa, então acho que temos que resolver isso o mais rápido possível. Não quero só saber a resposta, o meu interesse é que voltem com essas atividades para a população que está cobrando e que é de direito deles. Estamos em uma época que temos que prevenir e promover a nossa saúde. Então, peço que a Secretaria Municipal de Saúde reveja essa situação”, destaca o vereador.

Já o vereador Wander Albuquerque (PDT) protocolou dois Requerimentos: um pedindo informações sobre a situação dos motoristas da educação da Cooperativa de Transporte e o outro solicitando informações da comissão de reabertura do comércio de forma consciente. “O primeiro requerimento tem objetivo de pedir informações da cooperativa de transportes e da Prefeitura para saber o que poderão fazer para ajudar os cooperados que estão parados devido à pandemia. A grande maioria da área da educação. Já temos informações de que a cooperativa passará uma cesta básica para cada cooperado, pagará seu INSS, já é uma medida positiva. Mas no nosso entendimento, tem que ser feito mais alguma coisa, tem que ter um valor, até porque, para grande maioria, essa é a única fonte de renda que eles têm, alguns, inclusive, pagam a prestação de seus veículos até hoje. Entendemos que a prefeitura, juntamente com a cooperativa, pode dar uma contribuição melhor para esses cooperados”, explicou.

Sobre o outro requerimento, Wander explicou que ele “foi dirigido à comissão que foi nomeada através de um decreto para falar do comércio e indústria da nossa cidade. Ouro Preto precisa ser mais enérgico nas medidas de segurança, como a obrigação do uso de máscaras, principalmente nos comércios. Aos trabalhadores, comerciantes e principalmente para quem vai fazer uso desses comércios, tem que usar máscara, álcool em gel. O que a gente percebe é que isso não está acontecendo. Alguns comércios estão tomando medidas de segurança, outros não. Então acho que é momento dessa comissão ser mais enérgica nas exigências de segurança”.