Audiência avalia proibição de livros de RPG em Ouro Preto

Audiência avalia proibição de livros de RPG em Ouro Preto

Audiência avalia proibição de livros de RPG em Ouro Preto

Nesta sexta-feira, 14 de outubro, exatamente 4 anos após o assassinato da estudante Aline Silveira Soares, a Câmara de Vereadores de Ouro Preto promove uma audiência pública para tratar da proibição da venda de livros de RPG (Roler Play Game) na cidade.

A ideia é da promotora Luiza Helena Trócilo, que está sugerindo à Câmara a criação de um Projeto de Lei proibindo a venda dos títulos Vampiro, Divina Comeida e Iluminat. Ela é responsável pelo caso do assassinato da estudante Aline, morta em um ritual macabro, supostamente motivado pela participação em uma partida de RPG.

Além da promotora Luiza Helena, está confirmada a presença do procurador da República Fernando Almeida Martins, autor de uma ação civil pública que pede a proibição do jogo de RPG no Brasil. Também foram convidados os familiares de Aline e participantes da Associação Mineira de RPG.

Publicado por: Assessoria de Comunicação em 13/10/2005

Anterior Audiência avalia proibição de livros de RPG em Ouro Preto

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.