Câmara de Ouro Preto debate ações em prol do município

Câmara de Ouro Preto debate ações em prol do município

Câmara recebeu denúncia contra a PM durante Tribuna Livre

Câmara recebeu denúncia contra a PM durante Tribuna Livre

6-3-12

Durante a Reunião Ordinária da Câmara Municipal, realizada na última terça-feira (6), o Projeto de Resolução nº 5/2012, que dispõe sobre a aprovação das contas do Município de Ouro Preto, relativas ao exercício financeiro de 2010, foi distribuído às Comissões Permanentes da Casa para análise. A proposição visa aprovar as contas da Prefeitura Municipal do ano atrasado, nos termos do parecer prévio do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais.

Os edis aprovaram, durante a Reunião, Requerimento nº 13/2012, de autoria do vereador Flávio Andrade (PV), convidando o engenheiro Romero César Gomes para informar sobre a proposta de criação do Instituto Geotécnico de Ouro Preto, em função da atualização da Carta de Risco Geológico feita recentemente pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Romero participará da Reunião Ordinária do Legislativo na terça-feira, dia 13 de março.

A Câmara tornou pública, por meio de ofício da Diretoria Regional de Minas Gerais da Empresa de Correios e Telégrafos, o convênio firmado entre a empresa e o município de Ouro Preto para a instalação de uma Agência de Correios Comunitária (AGC) na Vila Samarco e em 11 distritos. A instalação das AGCs tem como objetivo viabilizar a prestação de serviços postais básicos em pequenas localidades com população superior a 500 habitantes, mediante convênios com entidades públicas.

Tribuna Livre – Na mesma reunião, os pais de Bruno Carvalho (33), Edson Melo e Cleuza Carvalho, utilizaram a Tribuna Livre para denunciar suposta agressão de cerca de sete policiais militares ao filho. De acordo com a denúncia, o fato teria ocorrido na noite do último sábado (3), durante uma festa de formatura na Barra, próxima ao Clube Guarani. Edson informou, ainda, que Bruno encontra-se no Presídio Municipal.

De acordo com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, vereador Júlio Pimenta (PPS), os edis irão averiguar se houve realmente o despreparo, como foi relatado, e identificar quais são os policias militares envolvidos. “Vamos ouvir também o outro lado e buscar a verdade com testemunhas e com provas dentro das possibilidades. E esperamos que a própria Polícia Militar abra uma sindicância e busque apurar a veracidade dos fatos. E, caso seja comprovado, que puna com rigor os envolvidos”, afirmou. A Comissão é formada também pelos vereadores Luiz Gonzaga (PR) e Silmério Oliveira (DEM).

 

Anterior Câmara Cine participa de eventos comemorativos ao Dia da Mulher

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.