Comenda Beatriz Brandão homenageia personalidades de Ouro Preto

Comenda Beatriz Brandão homenageia personalidades de Ouro Preto

Câmara Municipal de Ouro Preto - Comenda Beatriz Brandão homenageia personalidades de Ouro Preto

A noite do dia 31 de maio foi inspirada pelo legado da escritora ouro-pretana Beatriz Brandão com a cerimônia de entrega da Comenda que leva o seu nome a importantes representantes dos campos da arte e da educação em Ouro Preto. Neste ano, a Câmara Municipal concede a homenagem a Ângela Maria Leite Xavier, Anna Ammélia Lopes de Oliveira, Cláudia Aparecida Marliére de Lima, Maria Agripina Neves e Maria da Glória Santos Laia.

“Beatriz Brandão foi uma grande professora, poetiza, musicista, compositora, artista e é uma vida que precisa ficar registrada como patrimônio de Ouro Preto. É muito importante que essa Comenda continue a acontecer e a homenagear mulheres que, como Beatriz, tenham uma trajetória relevante na educação e nas artes em Ouro Preto”, explicou Cláudia Pereira, que tem livros publicados sobre Beatriz Brandão.

A emoção de Cláudia ao falar sobre a vida e o notável trabalho da escritora do século XIX se estendeu aos depoimentos das homenageadas. Todas relataram o prazer em receber a Comenda que leva o nome dessa mulher batalhadora. Como a diretora do IFMG Ouro Preto, Maria da Glória Santos Laia: “Eu estou realmente emocionada e honrada com essa lembrança por todo o significado que tem a Beatriz Brandão e a história dela e como que ela se reflete na atuação feminina. Eu defendo para que a gente possa, por meio da educação, contribuir com a formação de pessoas conscientes e críticas”.

A reitora da Ufop, Cláudia Marliére, concordou: “Ela foi uma pessoa que quebrou paradigmas, e cada uma de nós também rompemos algum paradigma. E, nesse sentido, acredito que a gente representa muito bem essa medalha porque existem semelhanças dessas mulheres homenageadas com a Beatriz, que lutou tanto, também, em prol da liberdade da mulher e da conquista de espaços”.

A artista Annamélia avaliou que “Beatriz Brandão foi uma pessoa que rompeu muitas barreiras. Então, é uma homenagem muito gratificante porque todas as outras pessoas homenageadas também são mulheres que lutaram, são guerreiras e, hoje, eu estou muito feliz”. A historiadora e escritora Agripina completou que é “uma honra tão grande de ter uma Comenda com o título de Beatriz Francisca Brandão, uma mulher que quebrou barreiras e não se importou com o que diriam. Ela não se sujeitou a aquilo que era imposto pela sociedade. E acho que se parece um pouco comigo”. Ângela Maria Leite Xavier também será agraciada com a Comenda Beatriz Brandão, mas não pôde comparecer à solenidade. A honraria será entregue à escritora em uma nova data a ser agendada.

O presidente da Câmara de Ouro Preto, vereador Wander Albuquerque, destacou a relevância da Comenda: “Temos em Beatriz Brandão um exemplo de mulher que rompeu com as amarras impostas pela sociedade de seu tempo, no qual as mulheres eram muito perseguidas, não tinham seus direitos garantidos, e a escritora se rebelou com tudo isso. É um símbolo da importância da arte e da educação em Ouro Preto. Assim como as homenageadas desta noite, que representam o espírito de Beatriz Brandão e são uma inspiração para todos nós que amamos Ouro Preto e valorizamos a cultura e a arte em nosso município”.

“Parabenizo a Câmara Municipal de Ouro Preto por essa homenagem tão importante lembrando Beatriz Brandão que foi exemplo, na sua época, de mulher desbravadora. E também a escolha das agraciadas pelo Conselho, que foi muito feliz, pois escolheu mulheres educadoras que têm um trabalho muito respeitado, dignificante e são merecedoras dessa honraria”, elogiou o prefeito Júlio Pimenta.

Criada por meio do projeto de resolução 13/2005, a Comenda Beatriz Brandão é entregue, a cada dois anos, a cinco pessoas ou instituições que se destaquem nas áreas de Educação e Arte, bem como no tocante aos direitos da mulher. As homenageadas são indicadas pelo Conselho da Comenda, formado por representantes da Câmara Municipal, da Prefeitura, da Ufop e da sociedade ouro-pretana. Além de enaltecer a trajetória e a atuação da poetisa, a honraria é uma forma de Ouro Preto reconhecer os trabalhos desenvolvidos pelas homenageadas no município.

 

Anterior Câmara de Ouro Preto trata da importância da reciclagem

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.