Coordenador da escola de samba do Santa Cruz utilizou a Tribuna Livre da Câmara para prestação de contas

Coordenador da escola de samba do Santa Cruz utilizou a Tribuna Livre da Câmara para prestação de contas

Câmara Municipal de Ouro Preto - Coordenador da escola de samba do Santa Cruz utilizou a Tribuna Livre da Câmara para prestação de contas

Danilo Nonato entrega documento de prestação de contas ao presidente da Câmara de Ouro Preto, Léo Feijoada

11/03/2014

Durante a reunião da Câmara de Ouro Preto realizada no dia 11 de março, o coordenador da escola de samba União Recreativa Santa Cruz, Danilo Nonato, utilizou a Tribuna Livre. “O objetivo é apresentar a prestação de contas dos R$ 43 mil que nós recebemos no início de fevereiro da Prefeitura Municipal”, afirma Danilo. “Nós entendemos que é um dinheiro público e que deve ser apresentado para sociedade onde foi aplicado”, conclui.

A agremiação foi a campeã do Carnaval de Ouro Preto de 2014 e, de acordo com as contas apresentadas, investiu o total de R$ 45.496,56 (sendo R$ 43 mil repassados pelo  Município, R$600,00 captados por meio da LESOP em 2013, R$900,00 de patrocínio da Turin e R$ 996,56 de investimento de dois membros da Escola).

Danilo agradeceu os colaboradores da Escola, entre eles, à Câmara Municipal por ceder o Plenário para a apuração dos desfiles.

Repasse do recurso público – Danilo Nonato falou sobre as dificuldades enfrentadas quanto ao prazo para aquisição de materiais, visto que o recurso municipal foi liberado com apenas um mês de antecedência do Carnaval. “Poderíamos apresentar muito mais se tivéssemos tempo para trabalhar com a escola de samba”, afirma ele.

O vereador Alysson Gugu (PPS) ressalta que a Lei n° 874/2013 regulamenta o período para antecipação do repasse. “Em diversas reuniões de comissões, nós vereadores entendemos que é a melhor maneira para contemplar as escolas de samba nos próximos carnavais. As escolas que prestarem contas dos seus gastos receberão a primeira parcela do recurso em outubro”. Os repasses às escolas de samba serão realizados em cinco parcelas mensais.

Galpão do samba – Outra questão questionada é a carência da maioria das escolas de samba da cidade em relação à sede própria. “A gente precisa de um espaço destinado para o trabalho da escola de samba para que não aconteça só entre janeiro e fevereiro, que seja um trabalho realizado durante todo o ano para que a gente possa trabalhar melhor e aplicar melhor esse recurso”, afirma Danilo.

O vereador Chiquinho de Assis lembra que apenas as escolas Sinhá Olímpia, Unidos do Padre Faria e Acadêmicos do São Cristóvão possuem local próprio para preparação dos adereços. “A maioria das escolas não tem um galpão”, afirma Chiquinho. “Se a gente buscar um modelo que é desenvolvido no Rio de Janeiro, que é o Galpão do Samba, onde cada escola tem um lugar reservado para que ela possa trabalhar ao longo do ano, eu acho que é uma grande contribuição que não seria para A nem B, mas seria pra coletividade das escolas de samba de Ouro Preto”, afirma o parlamentar.

Anterior Câmara forma Comissão Especial para analisar demolição de imóvel feita há mais de um ano na Bauxita

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.