Em audiência na Câmara Novelis autoriza estudo para construção de desvio rodoviário no Barcelos

Em audiência na Câmara Novelis autoriza estudo para construção de desvio rodoviário no Barcelos

Em audiência na Câmara Novelis autoriza estudo para construção de desvio rodoviário no Barcelos

Câmara Municipal de Ouro Preto - Em audiência na Câmara Novelis autoriza estudo para construção de desvio rodoviário no Barcelos


A Novelis autorizou a realização de um estudo de viabilidade de construção de um desvio rodoviário na área da Fazenda Maria Soares e Barcelos, de propriedade da empresa. A decisão foi anunciada durante a audiência pública promovida pela Câmara na última quarta-feira, 6, para discutir uma solução definitiva para o tráfego de veículos de grande porte na avenida Américo René Gianetti, no bairro Saramenha de Cima. Ao final da audiência foi formado um grupo de trabalho que acompanhará o início dos estudos de viabilidade da construção do desvio. O gupo, cuja coordenação ficará a cargo do secretário de Obras, Eric Nielsen, será formado por representantes das empresas RDM (Rio Doce Manganês) e Novelis, da Associação de Moradores de Saramenha de Cima, do DER/MG (Departamento de Estradas e Rodagens do Estado de Minas Gerais), do Ief (Instituto Estadual de Florestas), do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e da Fundação Gorceix. “Vamos ter uma reunião inicial e a partir daí definir o que será feito e a função de cada representante no grupo. A Prefeitura também vai buscar parcerias externas porque nosso recursos são escassos e não há técnicos com capacitação suficiente para fazer esse estudo. Temos que tentar essas parcerias com as empresas que utilizam a estrada”, disse Eric Nielsen.

Para o vereador Wanderley Rossi Kuruzu (PT), que pediu a realização da audiência, houve evoluções significativas na discussão do tráfego pesado em Saramenha de Cima. “Foi fundamental a participação do poder público, representado pela Prefeitura, pela Câmara e pelo DER, mas especialmente das empresas, a RDM se dispôs a colaborar e a Novelis permitiu que os estudos sejam feitos num terreno que pertence a ela. Antes a Novelis enxergava problemas para a realização desse estudo e hoje a empresa mudou de opinião, trazendo a grande notícia da audiência”, afirmou Kuruzu. O vereador Sílvio Mapa (PSDB) também enxergou avanços na audiência da última quarta. “Com a participação das autoridades competente acreditamos que o resultado vai ser positivo. Em conjunto esse problema da comunidade de Saramenha de Cima e tamém do bairro Tavares vai ser resolvido”, disse.

De acordo com o presidente da Associação de Moradores de Saramenha de Cima, Geraldo Mendes, a construção do desvio desafogaria a Avenida Américo René Gianetti do tráfego intenso de carretas e caminhões que vem da rodovia que liga Ouro Preto a Ouro Branco, a Estrada Real. “Pela primeira vez nós percebemos o interesse das empresas e das autoridades em resolver definitivamente o nosso problema. O melhor caminho é fazer uma estrada alternativa. Com a disponibilização de uma área pela Novelis, e com o interesse da RDM, do DER, do IEF, temos certeza que agora a comunidade de que a solução está próxima”, afirmou.

O gerente da RDM – Rio Doce Manganês – empresa que pertence à Companhia Vale do Rio Doce, Flávio Maia Cardoso disse que a empresa também acredita na construção do desvio como a melhor alternativa. “A RDM participará do estudo para a construção do desvio e também daquilo que estudo apontar, naturalmente, dividindo com os outros usuários da estrada a responsabilidade do que for definido para resolver o problema”, declarou.

O governo de Minas Gerais já aprovou a criação de uma Reserva de Preservação Ambiental pela Novelis na área da Fazenda Maria Soares e Barcelos, que compreende um total de 190 hectares. Para que a proposta de construção do desvio rodoviário seja viabilizada será preciso uma autorização dos órgãos ambientais, visto que o terreno da Novellis está localizado nos arredores de duas unidades de conservação estaduais: o Parque Estadual do Itacolomi e a Estação Ecológica do Tripuí. “O desvio deve passar muito próximo a essa área da Novellis, que terá o mesmo nível de proteção de um parque. Obviamente o empreendimento precisará da licença do Sistema Estadual do Meio Ambiente (Sisema). Mas as perspectivas são muito boas, principalmente se a questão for discutida num âmbito maior, com a participação de áreas técnicas diferenciadas”, declarou Alberto Vieira de Melo Matos, diretor do Parque Estadual do Itacolomi que representou o IEF na audiência. O Sisema é formado pela Secretaria de Estado do e do Desenvolvimento Sustentável (Semad), pela Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF), pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), pelo Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam),pelo Conselho Estadual de Recursos Hídricos (CERH) e pela Polícia Militar de Meio Ambiente.

Publicado por: Assessoria de Comunicação em 13/06/2007

Anterior Audiência

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.