Você está em:

Superintendente da Saneouro faz uso de Tribuna Livre

E-mail Imprimir PDF

  • Anterior
  • 1 of 2
  • Próximo

na ocasião, o representante afirmou que a cobrança pela água começará ainda este ano

 

Durante a 81ª Reunião Ordinária de 2021, realizada nesta quinta-feira (25), o superintendente da Saneouro, Cleber Ribeiro Salvi, fez uso da Tribuna Livre, atendendo Requerimento Nº 433/2021, de diversos vereadores, para que prestar explicações sobre a instalação de hidrômetros e sobre a execução dos serviços, bem como sobre os investimentos realizados pela empresa no município.

Em um primeiro momento, Cleber falou sobre os investimentos realizados pela empresa. Segundo o representante, a Saneouro já investiu cerca de R$ 18 milhões em Ouro Preto, tendendo a chegar aos R$ 20 milhões até o final de dezembro.”Esses investimentos foram feitos nas estações de tratamento de água, na ETA Itacolomi, ETA Funil, na ETA Botânico, Vila Alegre e Amarantina”, explicou.

Além do investimento nas estações do tratamento, foi informado que a empresa também investiu em melhorias nos reservatórios, no sistema de captação e na segurança operacional. Também foi feita a ativação do Posto 01, no distrito de Antônio Pereira, a ampliação da capacidade produtiva do poço da Caixa 03, a criação de um Novo Sistema de Bombeamento na Estação Elevatória de água Marambaia, dentre outras ações.

Em contrapartida, diante das explicações do representante da Saneouro, o vereador Matheus Pacheco (PV) ressaltou a falta de compromisso da empresa em responder pontualmente os requerimentos oriundos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigou o processo licitatório e o contrato de concessão da companhia. “A Saneouro têm dado muitas respostas superficiais para os nossos questionamentos. Não queremos respostas que sejam recortes da concessão. Algumas localidades nos distritos e na sede ficaram mais de duas semanas sem água. Queremos saber o que está acontecendo. O que foi apresentado agora aqui são recortes de situações favoráveis à empresa”, disse.

Para o vereador Renato Zoroastro (MDB), o problema de abastecimento de água potável e esgoto a céu aberto é uma das questões que devem ser resolvidas com urgência em Ouro Preto.

Questionado pelo vereador Kuruzu (PT) se a Saneouro possuiu algum planejamento para a retirada da empresa do município, Cleber respondeu que não existe nenhum plano, uma vez que há um contrato de 35 anos a ser cumprido e a companhia possuiu o investimento necessário para continuar operando.

O superintendente da Saneouro afirmou ainda que a hidrometração no município já se encontra superior a 90%. “Conforme foi combinado, nós vamos apresentar esse levantamento à prefeitura e também para a Agência Reguladora, que fará uma avaliação e uma auditoria para iniciar a cobrança pelo volume, como estamos prevendo para o início de dezembro”, apontou.

Conforme o vereador Luiz Gonzaga do Morro (PL), Presidente da Casa Legislativa, embora a Saneouro envie representantes para explicar sobre suas ações no município, as respostas obtidas diante os questionamento dos parlamentares não são satisfatórias. “Mais uma vez a Saneouro esteve presente na Câmara, através de um representante, mas ainda sim não obtivemos nenhuma resposta concisa por parte da empresa. Ainda restam muitos questionamentos sobre a situação da água em Ouro Preto, e a cada dia surgem novas perguntas. Já está na hora da Saneouro ser mais transparente com a população”, destacou.