Plantio de mudas e audiência marcam comemorações do Dia Mundial da Água

Plantio de mudas e audiência marcam comemorações do Dia Mundial da Água

Plantio de mudas e audiência marcam comemorações do Dia Mundial da Água

Câmara Municipal de Ouro Preto - Plantio de mudas e audiência marcam comemorações do Dia Mundial da Água


No último dia 22, o plantio de mudas ao redor das nascentes dos rios Doce e das Velhas e uma audiência pública que discutiu o saneamento básico no município marcaram as comemorações do Dia Mundial da Água em Ouro Preto. O plantio das mudas, promovido pela Câmara Municipal e apoiado pela prefeitura e pela Ufop (Universidade Federal de Ouro Preto), teve um caráter simbólico: atualmente a devastação da chamada mata auxiliar ameaça as nascentes ouropretanas de dois dos principais rios mineiros. A mata auxiliar cobre os mananciais, impedindo que o sol evapore rapidamente a água que brota das nascentes.

Às 9 horas, alunos das escolas Marília de Dirceu, Horácio Andrade, Dom Veloso e da Apae, saíram em caminhada da praça Tiradentes rumo ao Largo Fonte da Chácara, na Água Limpa, onde fica uma das nascentes do rio Doce. No local os estudantes, ao lado do prefeito Ângelo Oswaldo (PMDB), dos vereadores Flávio Andrade (PV) e Wanderley Kuruzu (PT), da secretária de Meio Ambiente, Tita Pedrosa, e da embaixadora Dulce Maria Pereira, plantaram mudas de mata nativa

As comemorações continuaram na localidade de Serra do Siqueira, onde foram plantadas mudas ao redor dos mananciais que formam o rio das Velhas. Os alunos da escola da Serra do Siqueira plantaram mudas de espécies como jatobá, pitanga e goiaba.

Audiência

Encerrando as atividades do Dia da Água, uma audiência pública discutiu a questão do saneamento básico no Município e trouxe dados alarmantes. Conforme o Sistema de Abastecimento de Água e Esgoto (Semae), autarquia responsável pelo setor em Ouro Preto, o consumo per capta / dia chega à 380 litros de água por pessoa, média considerada muito alta, quando comparada ao recomendado pela ONU, em torno de 110 litros. “O motivo é o descontrole que se tem do consumo, como não se mede, não se cobra, o desperdício é muito grande. Além disso, existem muitos vazamentos pela rede de distribuição”, comenta o professor Jorge Adílio Pena, do curso de mestrado em Águas da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop).

“O fato de não tratarmos das nossas nascentes, de produzirmos desmatamento, de poluirmos rios e bacias significa que estamos pondo em risco nossa realidade. A previsão feita pela Organização das Nações Unidas (ONU) é de que daqui há 20 anos até 60% da população do planeta pode não ter água”, alerta a embaixadora Dulce Maria.

“Parabenizo os colegas vereadores, especialmente o presidente desta Casa, Maurílio Zacarias, pela decisão de criar a Comissão de Meio Ambiente, Recursos Naturais e Agenda 21 na Câmara Municipal de Ouro Preto e também pela realização desta audiência, quando pudermos ouvir informações importantíssimas e refletir sobre o assunto, junto com a população, para que possamos buscar soluções para o problema da água”, destaca Kuruzu.

Foto: Comitiva que visitou as nascentes do Rio das Velhas em Serra do Siqueira.

Publicado por: Assessoria de Comunicação em 26/03/2007

Anterior Casa cheia durante audiência pública sobre Educação, na Câmara de Ouro Preto

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.