Vereadores cobram implantação do CAPS-AD

Vereadores cobram implantação do CAPS-AD

Naquinta-feira passada, 25, a Câmara de Ouro Preto realizou uma reunião especial em frente à cadeia pública. Além de discutir a superlotação da cadeia e a precariedade da estrutura de trabalho da Polícia Civil no Município, a reunião foi um ato simbólico para chamar a atenção do governo estadual – responsável pela segurança pública – para os dois problemas. Construído para comportar cerca de 60 detentos, hoje o prédio da cadeia abriga aproximadamente 200 presos.

Coordenada pela vice-presidente da Câmara, Maria José Leandro (PDT) a reunião contou com a presença dos vereadores Flávio Andrade (PV), que sugeriu a realização do evento, Sílvio Mapa (PSDB),Wanderley Kuruzu (PT) Regina Braga (PSDB), Júlio Pimenta (PPS), Mateus Nunes (PR), José Maria Germano (PMDB). Participaram também o vice-prefeito Renato Figueiredo, o pároco de Santa Efigênia, Marcelo Santiago, o pastor Raimundo Nonato, da Igreja Batista Memorial, a coordenadora do Prolae (Programa Liberdade e Assistência ao Encarcerado), Shirley Xavier, e parentes dos presos, já que a reunião aconteceu no dia de visita aos detentos.

 

Drogas

Durante a reunião, a dependência química foi identificada como o fator responsável pelo maior número de prisões no Município. De acordo com Shirley Xavier, 80% dos presidiários em Ouro Preto cumprem pena por crimes relacionados ao uso ou tráfico de drogas.

Os vereadores cobraram da Prefeitura a implantação do CAPS-AD (Centro de Apoio Psicossocial – Álcool/Drogas). O prédio onde deve funcionar o Centro, localizado no bairro Padre Faria, já foi comprado pelo Executivo. A Câmara pretende articular reuniões com o Executivo para verificar o que é necessário para o início dos trabalhos do CAPS-AD

 

Prolae

O vice-prefeito Renato Figueiredo, falou sobre investimentos que serão feitos na Cadeia Pública com verba do governo estadual no valor de R$ 150 mil. Segundo ele o recurso já está na Prefeitura. R$ 100 mil serão investidos no Prolae para que o programa possa atender integralmente a 50 detetentos, o que amenizaria a superlotação; os R$ 50 mil restantes serão destinados à reforma do prédio da cadeia, que hoje enfrenta graves problemas na infra-estrutura elétrica e de abastecimento de água.

 

Protesto

Os vereadores encaminharam um documento ao governador Aécio Neves (PSDB) relatando as conclusões da reunião, já que os membros do governo estadual convidados para o evento, inclusive o governador, não compareceram. Também foi feita a proposta de realização de um protesto por autoridades e parentes de presidiários em frente ao Palácio da Liberdade para chamar a atenção do governador para a segurança pública em Ouro Preto.

 

 

 

Foto : Reunião especial aconteceu em frente à Cadeia

 

Anterior Vereadores estudantes discutem sistema de cotas

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.