Vereadores reivindicam obras para o Mota

Vereadores reivindicam obras para o Mota

Em reunião ordinária da Câmara Municipal de Ouro Preto realizada na última quinta-feira, 9, Mauro Lúcio Dimas, representante da comunidade do Mota fez uso da Tribuna Livre, onde relatou o descaso da Prefeitura em relação ao subdistrito. A vereadora Regina Braga (PSDB) apoiou a iniciativa de Mauro Lúcio. “Essa participação foi muito bem vinda e essencial para reforçar a minha luta em prol do Mota. A vinda da comunidade vem reforçar as reivindicações que já apresentei e que foram testemunhadas pelos meus companheiros vereadores”, disse. Presidente Maurílio Zacarias sugeriu visita de autoridades ao local.

 

Na oportunidade, Mauro Lúcio Dimas reivindicou algumas ações urgentes para a população da localidade. “ Saneamento básico é o que mais pedimos. É um direito nosso garantido por lei federal. Estamos vivendo uma situação de emergência: poeira, não temos água tratada, rede de esgoto , nem área de lazer”, concluiu.

Regina Braga destacou algumas conquistas da comunidade nos últimos anos mas citou problemas que ainda persistem. Segundo a vereadora a inexistência de infra estrutura urbana é o maior deles “Já conquistamos muita coisa. Não havia posto de saúde, escola ou coleta de lixo. Não havia água suficiente e hoje há, apesar da péssima qualidade. O sonho do Mota é a urbanização”, afirmou. “Por causa do movimento de caminhões você não consegue vizualizar o Mota, em virtude da poeira que se levanta das ruas. Muitas criança têm problemas respiratórios por causa disso. Eles estão pedindo encarecidamente à atual administração a urbanização: calçamento, esgoto e rede pluvial, porque o esgoto corre a céu aberto”, explicou a vereadora.

 

 

Arrecadação

 

De acordo com Regina Braga, a presença de grandes mineradoras na região do Mota não se traduz em qualidade de vida para a população do subdistrito. “É uma comunidade muito carente, apesar de várias mineradoras estarem em volta dela. Temos a Vale do Rio Doce explorando minério lá, a Gerdau, a CFM, mas o lado social é bastante debilitado”, disse. A vereadora, majoritária no distrito de Miguel Burnier, onde está localizado o Mota, afirmou ainda que os impostos arrecadados pela Prefeitura das mineradoras em atividade no subdistrito são representativos para os cofres municipais, o que justificaria maiores investimentos na região. “Hoje, Mota e Miguel Burnier juntos geram uma arrecadação muito interessante para o município: cerca de R$ 5 milhões”, explicou.

 

 

Visita

 

Para o presidente da Câmara, Maurílio Zacarias (PMDB), a visita de uma comitiva formada por vereadores e secretários do Executivo poderia contribuir para a sensibilização da administração municipal no que diz respeito aos problemas vividos pela comunidade do Mota, que fica a 70 km da sede do Município. A sugestão foi aprovada por Regina Braga. “Não adianta ficarmos reunidos entre quatro paredes. Acho que devemos fazer uma caminhada pelo subdistrito para sentirmos na pele, pisando no chão o sofrimento daquele povo”, declarou Maurílio Zacarias.

 

 

Foto: Vereadora Regina Braga afirmou que arrecadação e presença de mineradoras não garante qualidade de vida no subdistrito

 

 

Anterior Reunião da quinta-feira acontecerá às 16h

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.