Tribuna Livre: Ouro Luz fala sobre consórcio e ações no município

Tribuna Livre: Ouro Luz fala sobre consórcio e ações no município

Câmara Municipal de Ouro Preto - Tribuna Livre: Ouro Luz fala sobre consórcio e ações no município
Durante a 27ª Reunião Ordinária de 2021, realizada nesta terça-feira (13), representantes da empresa Ouro Luz fizeram uso da Tribuna Livre para falar sobre o consórcio realizado pela empresa e suas ações em Ouro Preto.

Atendendo ao requerimento de diversos vereadores, participaram da Tribuna o Diretor de Projetos da Brasiluz, empresa responsável pela Ouro Luz, Renato Rosset, e a Gerente do Consórcio, Joana Guimarães.

Segundo Renato, a licitação pública para o consórcio ocorreu em meados do ano passado, sendo homologada pouco menos de um mês depois e tendo a primeira ordem de serviço executada no final de 2020. “O contrato prevê a efetivação de toda iluminação pública do município, além de todo o sistema de telecomunicação da cidade, sendo responsabilidade da empresa a construção de um sistema de transmissão de alta velocidade através de fibra óptica e antenas de rádio, a instalação de câmeras de videomonitoramento em tempo real e também redes de Wi-Fi gratuito em diversos pontos da cidade”, esclareceu.

De acordo com o diretor, a partir do momento em que a parte telecomunicativa estiver operante, Ouro Preto será considerada a primeira Cidade Digital da América Latina. “Isso possibilitará que Ouro Preto, que é um cidade muito importante para a cultura no Brasil, tenha uma tecnologia que vai trazer para todo o mundo a informação necessária do que ocorre nos pontos turísticos, na questão cultural. Então, esse contrato, para nós do grupo Brasiluz, foi um motivo de orgulho e investimentos, porque nós enxergamos um cartão de visita para nossa empresa perante o Brasil”, ressaltou.

Em relação às operações atuais da empresa,  a Gerente do Consórcio Joana Guimarães explicou que, atualmente, a Ouro Luz vem trabalhando com a manutenção e eventuais obras em pontos onde há necessidades mais complexas, para além da substituição de material. “Todos os chamados que recebemos são via plataforma, porque é através dela que a gente consegue dimensionar a execução dos serviços e se o tempo de atendimento de cinco dias está sendo cumprido. No último mês, atendemos aproximadamente 350 chamadas, a maior parte referente às luminárias que ainda não foram trocadas. Ainda estamos fazendo a adequação de alguns pontos que não executamos no passado, seja pelo mau tempo ou pelo difícil acesso, mas hoje estamos funcionando com uma grade para poder atender, pelo menos uma vez por semana, cada distrito”, apontou.

Diante do questionamento feito por grande parte dos vereadores, a respeito da extensão da rede elétrica no município, o Diretor de Projetos Renato explicitou que a concessionária deve considerar a taxa de crescimento médio a partir de relatórios da Cemig, sendo de 43 pontos de iluminação pública por ano. “Todo ponto de iluminação, desde a extensão de rede  ao poste e ao braço, fazem parte desses pontos. Então é obrigação da concessionária estender a rede até o ponto de iluminação. Agora, essa extensão de rede não engloba a energia elétrica que deve ser utilizada para alimentação das casas, de uma maneira geral, para consumo dos particulares. Essa extensão de rede só é relativa à iluminação pública, sendo necessário, então, a rede primária da Cemig para a extensão ser realizada”, destacou.

Anterior Audiência Pública discutirá direito, bem-estar e proteção dos animais, nesta quarta-feira (14)

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.