Audiência discute medidas de incentivo ao Esporte em Ouro Preto

Audiência discute medidas de incentivo ao Esporte em Ouro Preto

Audiência discute medidas de incentivo ao Esporte em Ouro Preto

Câmara Municipal de Ouro Preto - Audiência discute medidas de incentivo ao Esporte em Ouro Preto

Audiência discute medidas de incentivo ao Esporte em Ouro Preto

A realização de uma Conferência Municipal de Esportes e Lazer para definir políticas públicas para o setor. A implantação do Conselho Municipal de Esportes, que foi criado há 16 anos e não saiu do
papel. A promulgação de uma Lei Municipal de Incentivo ao Esporte, similar à Lei Municipal de Incentivo à Cultura, onde empresas direcionariam os recursos de impostos pagos ao Município para investimentos em atividades esportivas. A apresentação de emendas ao Orçamento pelos vereadores, que contemplem o esporte e o lazer em Ouro Preto. Estes foram os encaminhamentos práticos apresentados ao final da audiência pública promovida pela Câmara Municipal na última
segunda-feira, 16, para discutir a situação do esporte no Município.

A audiência foi proposta pelo vereador Flávio Andrade (PV), vice-presidente da Câmara, e contou com a presença do secretário de esportes, Jaime Fortes, do presidente do Legislativo, Wanderley Rossi Kuruzu (PT), dos vereadores Leonardo Barbosa, o “Léo Feijoada” (PSDB) e Regina Braga (PSDB), de representantes da Liga Esportiva Ouropretana (Leo), do Instituto Águia de Ouro, do Ouro Preto Tênis Clube (OPTC), dos atletas e coordenadores da ginástica de trampolim do Programa Bolsa Esporte e de associações comunitárias. “Além das questões concretas, o mais
rico da audiência foi a grande representatividade que ela teve. Tenho certeza que, com essa soma de
esforços vamos conseguir oferecer ao povo de Ouro Preto uma estrutura de lazer e esportes a altura do que a cidade merece e precisa”, declarou Flávio Andrade.

O grande número de pessoas que foram à Tribuna Livre durante as reuniões ordinárias do Legislativo para reclamar da falta de investimentos da Prefeitura em projetos esportivos foi um dos principais motivos que levaram o vice-presidente da Câmara a pedir a realização da audiência. Entre as pessoas que recorreram à Tribuna Livre, estava o coordenador do programa Bolsa Esporte em Ouro Preto, professor Estácio Fonseca. Na audiência, o professor repetiu o relato das dificuldades enfrentadas pelos adolescentes que praticam ginástica de trampolim. A falta de estrutura para treinamento fez com que os atletas ouropretanos, que haviam conquistado o primeiro lugar na modalidade nos Jogos do Interior de Minas Gerais (JIMI) no ano passado, caíssem para a quarta colocação em 2006.

“Precisamos de um centro de treinamento. No último campeonato de que participamos me machuquei porque estava há três meses sem treinar direito e não pude competir. Temos capacidade, só precisamos de treinamento”, desabafou Ana Paula Santos, 14, atleta da ginástica de trampolim. Atualmente, o programa não tem dinheiro nem para comprar colchões e outros equipamentos.

A escassez de verbas destinadas à secretaria de esportes foi reconhecida pelo secretário Jaime Fortes. “A falta de verbas não é culpa nossa nem dos atletas. O prefeito e os outros secretários não podem ficar alheios às reivindicações que foram apresentadas aqui”, declarou Fortes. “Saúde , esportes e educação andam juntos. Se o esporte tivesse uma verba própria como outras secretarias, não teríamos esse problema de crianças sem treinamento”, concluiu. O secretário também acredita que a soma de esforços e a busca de parcerias representam alternativas viáveis para melhorar a estrutura esportiva de Ouro Preto. “Tenho a impressão de que, com a ajuda da Câmara e dos
deputados eleitos em nossa região, e com a dedicação da Secretaria, conseguiremos verbas para dois projetos que pretendemos concretizar no ano que vem: a construção de um galpão para a ginástica de trampolim e de um Núcleo de Esportes e Lazer para crianças e adolescentes em situação de risco social”, disse.

O redirecionamento das verbas destinadas pelo Orçamento à Secretaria de Esportes foi alvo das
críticas do vereador Leonardo Barbosa. Apesar de Orçamento para este ano, apresentado pela Prefeitura e aprovado pela Câmara, prever R$ 2.900 milhões para a pasta de esportes, até
o final de 2006 nem metade desse valor será executado pela secretaria. “Todos sabem para onde foi este dinheiro: para a Secretaria de Obras, que gastou além do que poderia gastar e foi autorizada a utilizar a verba do esporte pela Secretaria da Fazenda”, protestou “Léo Feijoada”. “É preciso que o prefeito tome providências para que isso não aconteça”, cobrou o vereador.

Foto: O secretário de Esportes, Jaime Fortes, e o vereador Flávio Andrade, autor do requerimento que pediu a audiência

Publicado por: Assessoria de Comunicação em 18/10/2006

Anterior Em sessão solene, Câmara faz homenagem aos 150 anos da Banda Euterpe Cachoeirense

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.