Casa cheia durante audiência pública sobre Educação, na Câmara de Ouro Preto

Casa cheia durante audiência pública sobre Educação, na Câmara de Ouro Preto

Casa cheia durante audiência pública sobre Educação, na Câmara de Ouro Preto

Câmara Municipal de Ouro Preto - Casa cheia durante audiência pública sobre Educação, na Câmara de Ouro Preto


Uma audiência pública, realizada na tarde do último sábado, 17, no Plenário da Câmara, reuniu professores, diretores de escolas públicas, pais de alunos e autoridades para discutir as últimas avaliações do ensino no Município. A audiência foi solicitada pela Comissão de Educação e Saúde da Câmara Municipal de Ouro Preto, preocupada com os resultados obtidos pelo Município nas últimas avaliações.

Conforme dados da própria Secretaria de Educação, da Superintendência Regional de Ensino – que é formada por Itabirito, Mariana, Acaiaca, Diogo de Vasconcelos e Ouro Preto – o município obteve o penúltimo lugar na Prova Brasil, aplicada em 2005 pelo Ministério da Educação aos alunos da 4ª e da 8ª série do primeiro grau, em todo o país. Em 2006, na classificação da Prova Censitária, realizada pelo governo do estado, Ouro Preto foi o último colocado da Superintendência.

De acordo com técnicos da área da educação, apesar de o desempenho das escolas de Ouro Preto não poder ser considerado o esperado, os resultados permaneceram acima das médias nacional, no caso da Prova Brasil, e estadual, na Prova Censitária. Na prova Brasil, de um total geral de 350 pontos, a média nacional foi de 172,91, para alunos da 4ª série e 222,63, para estudantes da 8ª série. As médias obtidas por Ouro Preto foram 184,96 e 235,07, para 4ª e 8ª série, respectivamente. Na Prova Censitária, aplicada a alunos da 3ª série, na faixa etária de 8 anos, 61,1% dos participantes tiveram desempenho em nível considerado intermediário. Conforme a Secretaria Municipal de Educação, parte dos problemas são decorrentes da substituição do sistema seriado para o sistema de ciclos no ensino público, que demanda tempo para adaptação de alunos e professores.

Participaram do debate a secretária Municipal de Educação, Crovymara Batalha, o prefeito Angelo Oswaldo, o pró-reitor de Extensão da Ufop, Fábio Faversani, representando o reitor João Luís Martins, a presidente do Conselho Municipal de Educação, Janaína Penna, a diretora do Cefet, Maria da Glória Santos Laia, o presidente da Umes Túlio Cesar Gomes e a presidente da União da Juventude Ouropretana, Neusiane Renata Silva. A audiência foi conduzida pelo presidente a Comissão de Educação e Saúde, vereador Wanderley Kuruzu (PT), autor do requerimento que pediu o debate.

Publicado por: Assessoria de Comunicação em 20/03/2007

Anterior CAC-Móvel leva serviço de expedição de identidades a distritos

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.