Comissões apurarão falta de água e interrupção de ponto de ônibus

Comissões apurarão falta de água e interrupção de ponto de ônibus

 

Na reunião da  terça-feira, 10, os vereadores protestaram contra o corte no abastecimento de água que vem atingindo várias regiões do Município nos últimos 15 dias. Os parlamentares cobraram uma interferência emergencial da Prefeitura no Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto). O presidente da Câmara, Maurílio Zacarias nomeou uma comissão composta pelos vereadores Sílvio Mapa (PSDB), Wanderley Kuruzu (PT) e Flávio Andrade (PV) para acompanhar o caso.

Para o vereador Leonardo Barbosa (PSDB), o “Léo Feijoada”, o problema não está em vias de ser resolvido, apesar da cobrança constante dos vereadores junto ao Executivo. “Ouvíamos o povo reclamar que falta de água era apenas nas partes altas da cidade e nos últimos dias, além das partes altas, falta água também nas regiões mais baixas da cidade. Há pessoas há uma semana sem água, isso em um Município rico em dinheiro e água. É preciso mais empenho do poder público, do Semae”, disse Léo Feijoada lembrando que bairros como o Padre Faria, o distrito de Amarantina e até a Praça Tiradentes ficaram sem água nos últimos dias.

O presidente , Maurílio Zacarias (PMDB), considera a situação crítica e atribui à falta de investimentos a crise no abastecimento de água. “O Semae tem condições de funcionar, mas falta verba para agilizar os trabalhos. Você convida a pessoa para trabalhar mas faltam ferramentas. Eles têm dinâmica, projetos e conhecimento, mas não tem o fundamental: verba. A situação é complicada”, disse.

Bauxita

Na reunião da última terça-feira, outro assunto discutido foi a interrupção de um ponto de ônibus na avenida Juscelino Kubitschek por uma obra particular. O presidente Maurílio Zacarias (PMDB) nomeou outra comissão, desta vez composta pelos vereadores Sílvio Mapa (PSDB), Wanderley Kuruzu (PT) e Leonardo Barbosa (PSDB) para apurar de onde partiu a autorização para a interrupção do ponto de ônibus. O assunto deve voltar a ser discutido pela Câmara nos próximos dias. “Perguntei ao responsável com qual autorização ele arrancou a guarita. Ele disse que foi autorizado pela Prefeitura. Acho que é uma falta de respeito. Há muito tempo aquele era uma espaço em que as pessoas se abrigavam para esperar os ônibus”, afirmou o vereador Sílvio Mapa.

Anterior Câmara homenageia pessoas e entidades que lutam em defesa do patrimônio histórico e natural

Deixe O Seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.